???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/581
Tipo do documento: Tese
Título: Variantes genéticas de CCR5 e concentrações plasmáticas das quimiocinas CCL3 e CCL4 na doença de Chagas crônica
Autor: Oliveira, Amanda Priscila de 
Primeiro orientador: Mattos, Luiz Carlos de
Primeiro coorientador: Cavasini, Carlos Eugênio
Primeiro membro da banca: Maia, Irineu Luiz
Segundo membro da banca: Oliveira, Maria Tercilia Vilela de Azeredo
Terceiro membro da banca: Castiglioni, Lilian
Quarto membro da banca: Pedro, Heloisa da Silveira Paro
Resumo: A doença de Chagas é resultante da infecção pelo protozoário Trypanosoma cruzi. As manifestações clínicas desta doença são representadas pelas seguintes formas: indeterminada, cardíaca, digestiva ou mista. A resposta imune desempenha papel relevante na determinação do curso da infecção. O receptor para quimiocinas CCR5 e as quimiocinas CCL3 e CCL4 (ligantes deste receptor) estão envolvidos na migração de leucócitos para os locais de inflamação. Objetivos: Avaliar se os polimorfismos do gene CCR5, CCR5?32 (rs333), CCR5 59029 A/G (rs1799987) e as concentrações plasmáticas das quimiocinas CCL3 e CCL4 estão associados às diferentes formas clínicas da doença de Chagas crônica, bem como com a disfunção sistólica ventricular esquerda. Casuística e métodos: Foram incluídos no estudo 277 pacientes, sendo 109 com a forma digestiva da doença e 168 com a forma cardíaca. O grupo controle foi composto por 172 doadores de sangue com sorologia não reagente para o T. cruzi. O teste de ELISA foi realizado para confirmar a infecção por T. cruzi. Os polimorfismos foram identificados por PCR e PCR-RFLP. Os níveis plasmáticos das quimiocinas foram medidos usando ensaio multiplex Milliplex® MAP (Millipore). As variáveis contínuas foram comparadas utilizando o teste t não pareado. Para comparação dos demais resultados foram realizados o Teste Qui-quadrado e o Teste T de Student ou Teste de Mann-Whitney. Resultados: Os genótipos e alelos dos polimorfismos CCR5?32 e CCR5 59029 A/G não diferiram entre os pacientes com doença de Chagas crônica cardíaca, com e sem disfunção sistólica ventricular esquerda. Foi observada maior frequência do genótipo AA nos pacientes com a forma cardíaca da doença, bem como frequência elevada do genótipo AG nos pacientes com a forma digestiva. Não houve diferenças nas concentrações de CCL3 e CCL4 entre os pacientes com doença digestiva e cardíaca, como também entre os pacientes com função sistólica ventricular esquerda normal e com disfunção. Maiores níveis plasmáticos de CCL3 e CCL4 foram verificados nos pacientes com disfunção sistólica ventricular esquerda, comparados com aqueles com a forma digestiva. Conclusões: Os polimorfismos CCR5?32 (rs333) e CCR5 59029 A/G (rs1799987) não estão associados à disfunção sistólica ventricular esquerda nos pacientes com doença de Chagas crônica cardíaca. O polimorfismo CCR5?32 parece não influenciar nas diferentes manifestações clínicas da doença de Chagas. Nossos resultados mostram o envolvimento do polimorfismo CCR5 59029 A/G na suscetibilidade diferencial às formas clínicas da doença de Chagas crônica, na população estudada. As concentrações plasmáticas de CCL3 e CCL4 parecem não estar envolvidas na suscetibilidade diferencial às formas clínicas da doença de Chagas crônica, como também no desenvolvimento da disfunção sistólica ventricular esquerda. Nestes pacientes, maior atividade inflamatória dependente de CCL3 e CCL4 pode ocorrer, em relação à forma digestiva da doença.
Abstract: Chagas disease is a disease resulting from infection by the protozoan Trypanosoma cruzi. The clinical manifestations of this disease are represented by the following forms: indeterminate, cardiac, digestive or mixed. The immune response plays an important role in determining the outcome of infection. The CC chemokine receptor 5 (CCR5) and chemokines CCL3 and CCL4 (ligands of this receptor) are involved in the migration of leukocytes to sites of inflammation. Objectives: The aim of this study was to evaluate if the CCR5Δ32 (rs333) and CCR5 59029 A/G (rs1799987) polymorphisms of the CCR5 gene and plasma concentrations of chemokines CCL3 and CCL4 are associated with different clinical forms of chronic Chagas disease and with left ventricular systolic dysfunction. Methods: The study included 277 patients, 109 with the digestive form of the disease and 168 with the cardiac form. The control group comprised 172 blood donors with negative serology for T. cruzi. Infection by T. cruzi was confirmed by ELISA. The polymorphisms were identified by PCR and PCR-RFLP. The chemokines levels were measured using a Milliplex® MAP multiplex assay (Millipore). The unpaired t test was used to compare continuous variables. Chi-square, the Student's t test or Mann-Whitney test were used to compare the results. Results: The genotypes and alleles of the CCR5Δ32 and CCR5 59029 A/G polymorphisms did not differ between the patients with Chronic Chagas heart disease with and without left ventricular systolic dysfunction. There was a higher frequency of the AA genotype in patients with Chronic Chagas heart disease, as well as high frequency of AG genotype in patients with the digestive form. There were no differences in the concentrations of CCL3 and CCL4 among patients with digestive and heart disease, as well as in patients with normal left ventricular systolic function and dysfunction. The plasma concentrations of both CCL3 and CCL4 were greater in patients with left ventricular systolic dysfunction than in those with the digestive form. Conclusions: The CCR5Δ32 (rs333) and CCR5 59029 A/G (rs1799987) polymorphisms had no relationship with left ventricular systolic dysfunction in patients with chronic Chagas' heart disease. The CCR5Δ32 polymorphism does not seem to influence the different clinical manifestations of Chagas disease. The results of this study show the involvement of the CCR5 59029 A/G polymorphism in susceptibility to the different clinical forms of chronic Chagas disease in this study population. Plasma concentrations of CCL3 and CCL4 may not be involved in the differential susceptibility to clinical forms of chronic Chagas disease, as well as in the development of left ventricular systolic dysfunction. In these patients, increased inflammatory activity dependent CCL3 and CCL4 can occur in relation to the digestive form of the disease.
Palavras-chave: Doença de Chagas
Chagas Disease
Quimiocinas
Chemokines
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Sigla da instituição: FAMERP
Departamento: Faculdade 1::Departamento 1
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Citação: Oliveira, Amanda Priscila de. Variantes genéticas de CCR5 e concentrações plasmáticas das quimiocinas CCL3 e CCL4 na doença de Chagas crônica. 2015. 136 f. Tese (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde) - Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 1140
URI: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/581
Data de defesa: 9-Sep-2015
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AmandaPrisciladeOliveira_Tese.pdfDocumento principal4,46 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.