???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/674
Tipo do documento: Tese
Título: Biomarcadores de estresse oxidativo na esquizofrenia resistente ao tratamento
Autor: Borghi, Fábio Aparecido 
Primeiro orientador: Araújo Filho, Gerardo Maria de
Primeiro membro da banca: Martins, Marielza Regina Ismael
Segundo membro da banca: Luiz, Andreia Mara Angelo Gonçalves
Terceiro membro da banca: Bortoleto, Nayara Delgado André
Resumo: A esquizofrenia é um transtorno mental severo que atinge 1% da população mundial. Aproximadamente um terço dos pacientes apresenta esquizofrenia resistente ao tratamento (ERT). Diversas hipóteses foram propostas para os mecanismos neurobiológicos subjacentes à esquizofrenia, incluindo o estresse oxidativo, que pode agravar a doença e provocar resposta insatisfatória ao tratamento. Objetivo: Avaliar os níveis de marcadores de estresse oxidativo em pacientes esquizofrênicos, tratados em um centro de saúde terciário e compará-los a um grupo controle, correlacionando-os com características psicopatológicas, sociodemográficas e clínicas. Casuística e Método: Participaram do estudo 89 indivíduos, divididos em três grupos: 36 indivíduos saudáveis (GC), 26 pacientes com esquizofrenia não resistente ao tratamento (ENTR) e 27 pacientes com esquizofrenia resistente ao tratamento (ERT). Os pacientes receberam o diagnóstico de esquizofrenia, conforme critérios do DSM-IV (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais). Critérios de Kane et al. e algoritmos do IPAP (International Psychopharmacology Algorithm Project) foram utilizados para determinar ERT. Os participantes submeteram-se à coleta de sangue periférico, para análise por espectrofotometria da superóxido dismutase (SOD), glutationa peroxidase (GPx), catalase (CAT), glutationa total (GSH-t), capacidade antioxidante equivalente ao trolox (TEAC) e malondialdeído (MDA). Perfil lipídico, dados clínicos e sociodemográficos foram coletados para comparação e correlação com os biomarcadores. A PANSS (Escala das Síndromes Positiva e Negativa) foi utilizada para avaliação da gravidade psicopatológica. As análises estatísticas compreenderam os testes Qui-quadrado, teste exato de Fisher, teste de Mann- Whitney, teste de Kruskal-Wallis e coeficiente de correlação de Spearman. Resultados: Os grupos ENRT e ERT apresentaram redução significativa dos níveis da SOD e elevação dos níveis de MDA, comparados ao grupo GC; enquanto CAT, GPx, GSH-t e TEAC não mostraram diferenças significativas entre os grupos. Os grupos ENRT e ERT apresentaram níveis semelhantes entre os biomarcadores; entretanto, todos estes estavam diminuídos no grupo ERT. Houve significância estatística, no grupo ERT, na correlação positiva da CAT com a escala positiva da PANSS e ziprasidona, GSH-t com glicose e risperidona, MDA com HDL e correlação negativa da GPx com idade, SOD com IMC, CAT com CT e clorpromazina, GSH-t com VLDL e TGL. O grupo ENRT apresentou correlação positiva da GPx com VLDL e TGL e correlação negativa da CAT com a escala positiva da PANSS. Conclusão: Níveis reduzidos de SOD e elevados de MDA estão associados à esquizofrenia. Níveis reduzidos de todos os biomarcadores no grupo ERT, em comparação ao grupo ENRT, embora sem diferença significativa, mostram tendência à diminuição dos biomarcadores de estresse oxidativo na esquizofrenia resistente. CAT pode ser considerada um marcador de gravidade psicopatológica. A correlação entre biomarcadores de estresse oxidativo, perfil metabólico e antipsicóticos sugere que o estresse oxidativo na esquizofrenia resistente esteja associado ao tratamento e deverá ser melhor avaliado em outros estudos com desenho longitudinal.
Abstract: Schizophrenia is a severe mental disorder affecting around 1% of the world’s population. About a third of the affected population are treatment resistant Schizophrenia (TRS). Several hypotheses were aimed at understanding the neurobiological mechanisms behind TRS, especially the role of oxidative stress; it can worsen the disease and may be a reason of poor response to therapy. Objectives: To evaluate the levels of oxidative stress biomarkers on the schizophrenic patients currently treated at a tertiary healthcare center and to compare to a control group, correlating to psychopathologic, sociodemographic, and clinical characteristics. Methods: Eighty-nine individuals were selected and divided into three groups: 36 healthy control subjects (HC), 26 non-treatment resistant Schizophrenia patients (NTRS) and 27 treatment resistant Schizophrenia patients (TRS). All patients met the criteria for Schizophrenia diagnosis, as proposed by DSM-IV (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders). The Kane et al. criteria and IPAP algorithms (International Psychopharmacology Algorithm Project) were also used to determine the presence of TRS. The individuals had peripheral blood drawn for the measurements of superoxide dismutase (SOD), glutathione peroxidase (GPx), catalase (CAT), total glutathione (GSH-t), trolox equivalent antioxidant capacity (TEAC), and levels of lipid peroxidation marker malondialdehyde (MDA), using the methodology of spectrophotometry. Lipid profiles, clinical and sociodemographic data were collected to compare and correlate biomarkers. Positive and Negative Syndrome Scale (PANSS) was applied for Psychopathology assessment. The statistical analysis employed the chi-square test, Fisher’s exact test, Mann-Whitney test, Kruskal-Wallis test and Spearman’s correlation. Results: NTRS and TRS groups had significantly decreased activity of SOD and increased levels of MDA than HC group; while CAT, GPx, GSH-t and TEAC levels remained similar among all groups. NTRS and TRS groups had similar levels of biomarkers; however, TRS group had decreased all of them. There was statistical significance, in the TRS group, in positive correlation between CAT with PANSS positive scale and ziprasidone, GSH-t with glucose and risperidone, MDA with HDL and negative correlation between GPx with patients age, SOD with BMI, CAT with CHO and chlorpromazine, GSH-t with VLDL and TG. NTRS group had positive correlation between GPx with VLDL and TG and negative correlation between CAT with PANSS positive scale. Conclusion: Decreased levels of SOD and higher levels of MDA are associated with Schizophrenia. Decreased levels of all biomarkers in TRS group, compared to NTRS, although without significant difference, suggests a tendency to decrease biomarkers in treatment resistant Schizophrenia. CAT can be considered an indicator of severity of psychopathology. Correlations between oxidative stress biomarkers, metabolic profile and antipsychotics suggests that oxidative stress in treatment resistant Schizophrenia is associated to treatment and should be better evaluated in further longitudinal design studies.
Palavras-chave: Biomarcadores
Biomarkers
Fatores Biológicos
Biological Factors
Esquizofrenia
Schizophrenia
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Sigla da instituição: FAMERP
Departamento: Faculdade 1::Departamento 1
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Citação: Borghi, Fábio Aparecido. Biomarcadores de estresse oxidativo na esquizofrenia resistente ao tratamento. 2020. 168 f. Tese (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde) - Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 1557
URI: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/674
Data de defesa: 14-Dec-2020
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_FabioAparecidoBorghi.pdf1,98 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.