???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/594
Tipo do documento: Dissertação
Título: Qualidade de vida, condições ergonômicas e presença de dor entre profissionais de um laboratório de saúde pública
Autor: Felício, Hilda Aparecida 
Primeiro orientador: Paschoal, Vania Del' Arco
Primeiro coorientador: Nardi, Susilene Maria Tonelli
Primeiro membro da banca: Rossi, Lilian Cristina de Castro
Segundo membro da banca: Pedro, Heloisa da Silveira Paro
Terceiro membro da banca: Ferreira, Renilda Rosa Dias
Resumo: As condições de trabalho dos profissionais da saúde pública em muitos países necessitam de adequações. Há de se garantir a saúde plena dos profissionais do setor público, em especial, dos que atuam em laboratório de análises clínicas. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida, condições ergonômicas e presença de dor dos profissionais de um Laboratório de Saúde Pública de referência regional de São José do Rio Preto, SP e propor intervenções. Casuística e Métodos: Estudo descritivo analítico, por meio de protocolos tais como, RULA ( risco ergonômico de desenvolver lesões), a Escala visual analógica da dor (EVA) e o SF-36 que investigou a qualidade de vida em 49 profissionais. Após a avaliação, um curso, cujo conteúdo contemplava informações e orientações pertinentes à dor, postura e adequação do ambiente e material didático foram elaborados para os participantes, com duração de seis horas, em pequenos grupos de até dez pessoas. Resultados: Participaram da pesquisa 49 profissionais, que representam 90,7% do total. A ingestão de bebida alcoólica (valor-p= 0,71) e o hábito de fumar (valor-p= 0,31) não interferiram no domínio "estado geral da saúde" avaliado pelo SF-36. Já a saúde física auto relatada como moderada, ruim ou muito ruim no último mês e no último ano teve influência negativa sobre o estado geral da saúde (valor-p<0,05). Os profissionais, que apresentaram baixa qualidade de vida no domínio "saúde mental" foram os que apresentaram maior risco ergonômico avaliado pelo RULA (valor-p <0,05). A Escala Visual analógica da dor (EVA), revelou que todos tinham dor, em graus variados, 27(55,1%) relataram dor leve, 21(42,9%) dor moderada e um (2%) dor intensa. Conclusão: Este estudo revelou o impacto que a postura produz nas atividades laborais pois em algum momento do dia todos os participantes apresentavam alguma dor, independente da idade e função. A maioria avaliada tinha baixo consumo de álcool e tabagismo e postura laboral não aceitável, necessitando de "investigação", "introdução de mudanças", em menor numero, necessitavam de "mudanças imediatas". 70% indicaram boa qualidade de vida relacionada aos componentes avaliados, porém, a qualidade de vida sob os aspectos da "dor" e "vitalidade" obtiveram médias que indicam necessidade de intervenção. Observou-se também que a saúde física auto relatada como moderada, ruim ou muito ruim no último mês e no último ano teve influência negativa sobre o estado geral da saúde (valor-p<0,05). A dor moderada e intensa influenciou de forma negativa a qualidade de vida dos participantes, quer seja no "estado geral de saúde", nos aspectos da "dor", na "vitalidade" e na "saúde mental" avaliados pelo SF-36 (valor-p < 0,05). As intervenções desenvolvidas como a prática educativa, a entrega de material especialmente elaborado, as orientações de autocuidado sobre a adoção de mudanças diárias de hábitos, posturas adequadas para prevenção de doenças osteoneuromusculares e ajuste no mobiliário trouxeram impacto imediato na vida dos profissionais. Espera-se que em longo prazo estes se sedimentem.
Abstract: The working conditions offered to professionals in public health in many countries need adjustments and for this reason. The full health of public sector employees, especially those working in the clinical analysis laboratory, must be ensured. Objective: To evaluate the quality of life, the ergonomic conditions and presence of pain of the professionals of a Public Health Laboratory of regional reference of São José do Rio Preto, SP and propose interventions. Methodology: It is a descriptive analytical study in which a protocol to collect socio-demographic and clinical data was applied, through observation and making a record of the posture of each of 49 professionals during the performance of their duties. For the data collection, the Employee Assessment Worksheet (RULA), the Visual Analog Scale (VAS) to measure pain and the 36-Item Short Form Health Survey (SF-36) which investigates the quality of life were used. After the assessment, a four-hour course whose contents included information and guidelines regarding pain, posture, adaptation of the environment, and didactic material was prepared for the participants; they worked in small groups of up to 10 people. Results: Forty-nine professionals participated in the survey, representing 90.7% of the total. Alcohol intake (p-value = 0.71) and smoking (p-value = 0.31) did not interfere in the "general health condition" domain as assessed by SF-36. Physical health was self-reported as moderate, poor or very bad in the last month and in the last year, it had a negative influence on the general health condition (p-value <0.05). The professionals who presented a low quality of life in the "mental health" domain were those with the highest ergonomic risk assessed by the RULA (p-value <0.05). The VAS revealed that all had pain, to varying degrees, 27 (55.1%) reported mild pain, 21 (42.9%) moderate pain and 01 (2%) severe pain. Conclusion: This study revealed that at some point in the day all participants had some pain. However, it was concluded that most indicated good quality of life of the evaluated components. However, the components that evaluate the quality of life under the aspects of "pain" and "vitality" obtained means that indicate the need for intervention. It was also observed that self-reported physical health as moderate, poor or very bad in the last month and in the last year had a negative influence on the general health status of study participants. Moderate and intense pain negatively influences the participants' quality of life, whether in the "general health", in the "pain" aspects, in the "Vitality" and "mental health" evaluated by SF-36. It was developed an educational action with active methodology, also realized adjustment in the furniture. Thus, according to the literature, there is a proven relationship between static or low-movement postures, especially the pains and disorders that are triggered by inappropriate postures, abusive working hours and the repetition of the same pattern of movement. Each participant in this study is expected to learn and have appropriate postures.
Palavras-chave: Qualidade de Vida
Quality of Life
Ergonomia
Ergonomics
Enfermagem em Saúde Pública
Public Health Nursing
Perfil de Impacto da Doença
Sickness Impact Profile
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Sigla da instituição: FAMERP
Departamento: Faculdade 1::Departamento 2
Programa: Programa de Pós-Graduação em Enfermagem
Citação: Felício, Hilda Aparecida. Qualidade de vida, condições ergonômicas e presença de dor entre profissionais de um laboratório de saúde pública. 2019. 60 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem) - Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 1465
URI: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/594
Data de defesa: 10-Jun-2019
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Enfermagem

Files in This Item:
File SizeFormat 
HildaAparecidaFelício_Dissert.pdf5,54 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.