???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/515
Tipo do documento: Tese
Título: Estudo epidemiológico das vias de transmissão do vírus da hepatite C e resposta ao tratamento segundo a genotipagem
Autor: Fachini, Roberta Maria 
Primeiro orientador: Zanetta, Dirce Maria Trevisan
Primeiro membro da banca: Angulo, Ivan de Lucena
Segundo membro da banca: Barreto, Jose Augusto
Terceiro membro da banca: Silva, Rita de Cássia Martins Alves da
Resumo: O virus da hepatite C (VHC) é considerado um importante problema mundial de saúde pública. A heterogeneidade do genoma viral pode ser relacionada às variabilidades clínicas e patológicas da hepatopatia crônica causada pelo vírus. Os objetivos do presente estudo foram: avaliar fatores de risco associados à transmissão do vírus da hepatite C, descrever as freqüências dos genótipos, identificar algumas das características epidemiológicas e histopatológicas para cada subtipo viral, e descrever os índices de resposta virológica sustentada associados a cada genótipo. Métodos: A genotipagem foi realizada em 136 pacientes com hepatite C crônica. As possíveis vias de contaminação e algumas características clínicas foram avaliadas por um questionário. Sessenta e três do total de pacientes foram submetidos ao tratamento durante o período do estudo. Estes pacientes foram seguidos com coletas de amostras periodicamente durante o tratamento e até completarem 24 semanas após o final do uso da medicação para a avaliação dos índices de resposta virológica sustentada por métodos de biologia molecular (PCR qualitativo). Resultados: O predomínio do genótipo 1 (62,5%) foi claramente demonstrado, seguido de 33,1% do genótipo 3 e 4,4% do genótipo 2. Nenhuma diferença foi observada entre os genótipos em relação: ao sexo, idade, freqüência de antecente transfusional antes do ano de 1992, abuso de álcool e cirrose hepática ao diagnóstico. Um maior número de pacientes infectados pelo genótipo 3 relatou antecedente de uso de drogas injetáveis e/ou inalatórias. Outros fatores de risco foram associados à infecção pelo VHC, como: contato sexual com pessoa considerada de risco para o vírus (valor-p=0,000) e o compartilhamento de objetos de uso pessoal (valor-p=0,000). O tratamento com interferon peguilado associado à ribavirina para os pacientes infectados pelo genótipo 1 proporcionou 61,0% de resposta virológica sustentada, e apenas 31,6% de resposta foi obtida com o interferon alfa convencional indicado para pacientes infectados pelo genótipo 3 (valor-p=0,051). Esta taxa mais baixa de resposta não foi associada a: antecedente de uso de drogas ou transfusão, tempo de infecção, cirrose hepática ou abuso de álcool. Adicionalmente, a recidiva foi mais precoce em pacientes tratados com interferon alfa em comparação aos que receberam interferon peguilado (valor-p = 0,085). Conclusões: A distribuição dos genótipos do VHC neste grupo de pacientes foi semelhante a dos Estados Unidos e de vários países europeus. O risco do uso de drogas parece estar mais associado à transmissão do genótipo 3 do VHC. O contato sexual com pessoa considerada de risco para a hepatite C e o compartilhamento de objetos de uso pessoal foram demonstrados como fatores de risco para a transmissão do vírus. Foi também observada a eficácia do tratamento com interferon peguilado e ribavirina para os pacientes infectados pelo genótipo 1, porém a taxa de resposta virológica sustentada obtida pelos pacientes infectados pelo genótipo 3, que foram tratados com interferon alfa convencional associado à ribavirina, esteve abaixo dos valores apresentados previamente na literatura (31,6% versus 80,0%). A recidiva foi mais precoce nos pacientes tratados com interferon alfa em comparação aos que receberam interferon peguilado.
Abstract: Hepatitis C virus (HCV) remains an important health care burden worldwide. The genome heterogeneity may be related to the wide variability of clinical and pathological features in HCV-related chronic liver disease. Additionally, knowing the frequency and distribution of the genotypes may enable us to understand the spread of HCV. This study addresses to identify the risk factors for transmission of the hepatitis C, to describe the distribution of the genotypes in a southeast area of Brazil, in patients with chronic hepatitis C, identifying some of the epidemiological and histopathological characteristics of each virus subtype and, to describe the treatment response associated to each genotype. Methods: Genotyping was performed in samples from 136 patients with chronic hepatitis C. The possible routes of contamination and some clinical characteristics were evaluated by a questionnaire. 63 of these patients were submitted to treatment: 41 infected by genotype 1 received peginterferon alfa-2a or alfa-2b plus ribavirin during 48 weeks and 22 received interferon alfa plus ribavirin during 24 weeks (3 infected by genotype 2 and 19 by genotype 3). These patients were followed with samples collection periodically during the treatment and for 24 weeks after the end of therapy to evaluate a sustained virological response. Results: The predominance of HCV genotype 1 (62.5%) was clearly shown, followed by 33.1% for genotype 3 and 4.4% for genotype 2. No difference was observed among the genotypes according to sex, age, frequency of transfusion history prior 1992, alcohol abuse and liver cirrhosis at the diagnosis; a higher number of patients infected by genotype 3 reported a past drug abuse history. Other risk factors were associated with the HCV infection, as the sexual contact with person that had risk comportment and the objects shared by different people. The peginterferon alfa plus ribavirin treatment to the genotype 1 was associated with 61.0% of virological response, and only 31.6% was obtained with interferon alfa indicated to patients infected by genotype 3 (p value = 0,051). This low rate was not associated to previous history of drug use or blood transfusion, length of infection, cirrhosis in the liver biopsy or alcohol previous history. And, the recidive was early in patients that were treated with interferon alfa in comparing with that received peginterferon (log rank – p value = 0,085). Conclusions: The distribution of the HCV genotypes in the evaluated area in Brazil is similar to that in the United States and several European countries. The risk of drug use seems more closely associated with the transmission of genotype 3 when compared to genotype 1. The sexual contact and the objects shared by different people were shown as risk factors to HCV contamination. It was shown the efficacy of peginterferon plus ribavirin to treat patients infected by genotype 1. The rate of sustained virological response with the interferon alfa plus ribavirin therapy to genotype 3 was lower than the showed by the literature (31.6% versus 80.0%).
Palavras-chave: Doenças Transmissíveis
Communicable Diseases
Hepatite C
Hepatitis C
Genótipo
Genotype
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Sigla da instituição: FAMERP
Departamento: Faculdade 1::Departamento 1
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Citação: Fachini, Roberta Maria. Estudo epidemiológico das vias de transmissão do vírus da hepatite C e resposta ao tratamento segundo a genotipagem. 2008. 209 f. Tese (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde) - Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 937
URI: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/515
Data de defesa: 11-Aug-2008
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RobertaMariaFachini_tese.pdfDocumento principal654,36 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.