???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/462
Tipo do documento: Dissertação
Título: Depressão, ansiedade, qualidade de vida e estratégias de enfrentamento após transplante cardíaco
Autor: Trevizan, Fulvio Bergamo 
Primeiro orientador: Miyazaki, Maria Cristina de Oliveira Santos
Primeiro membro da banca: Braile, Domingo Marcolino
Segundo membro da banca: Domingos, Neide Aparecida Micelli
Resumo: Diante da insuficiência cardíaca refratária, transplante de coração é o procedimento terapêutico indicado para aumentar a sobrevida do paciente. A melhora do funcionamento global e da qualidade de vida são fatores esperados no pós-cirúrgico. Objetivos: identificar e avaliar transtornos mentais e sintomas, tais como depressão e ansiedade, qualidade de vida e estratégias de enfrentamento diante da situação pós-cirúrgica de transplante do coração. Assim como, correlacionar as variáveis e compará-las entre sexo, faixa etária e tempo de transplante. Método: estudo transversal, quantitativo, com pacientes submetidos ao transplante cardíaco no Hospital de Base de São José do Rio Preto. Os participantes responderam ao Questionário Sociodemográfico, ao Inventário de Depressão de Beck (BDI-II), ao Inventário de Ansiedade de Beck (BAI), ao MINI International Neuropsychiatric Interview, à Escala Modos de Enfrentamento de Problemas (EMEP) e ao WHOQOL-BREF, instrumento da Organização Mundial de Saúde para avaliar qualidade de vida. Para análise de dados adotou-se nível de significância P≤0,05. Resultados: participaram 33 pacientes, 67% (n=22) do sexo masculino, idade média de 52 anos (±11,75), tempo médio de transplante: 10 anos (±3,39) e 33% (n=11) do sexo feminino, idade média de 54 anos (±11,04), com tempo médio de transplante em 10 anos (±3,28). Os resultados do BDI-II indicaram que 91% (n=30) apresentaram nível mínimo, 6% (n=2) nível leve e 3% (n=1) nível moderado de sintomas de depressão. No BAI, 94% (n=31) demonstrou nível mínimo, 3% (n=1) nível leve e 3% (n=1) nível moderado de sintomas de ansiedade. WHOQOL-Bref revelou uma percepção da qualidade de vida considerada boa (60-80 pontos) em todos os domínios: psicológico (70.45), relações sociais (69.7), ambiente (67.33) e físico (63.53). Os dados da EMEP registraram enfrentamentos focados em problemas (M=3,56 ±0,68), religiosidade (M=3,55 ±0,48), suporte social (M=3,34 ±0,73) e emoção (M=1,76 ±0,36). No MINI, foi registrado um único caso de episódio depressivo maior atual e recorrente. Diferenças significantes foram encontradas na percepção do domínio psicológico de homens como sendo maior do que em mulheres (P=0.0071). Homens estavam mais satisfeitos com o meio ambiente (P=0.0387); pacientes com idade ≥ 53 anos focando mais na religiosidade para o enfrentamento de problemas do que pacientes com idades inferiores (P=0.039), sendo esta, também, sua estratégia principal. Conclusão: embora a maioria dos participantes da amostra tenha apresentado sintomas de depressão e ansiedade, apenas um paciente foi identificado com sintomas moderados nos dois domínios. Modo de enfrentamento focado no problema foi a estratégia mais utilizada, seguida de foco na religiosidade, suporte social e emoção. Pacientes classificaram as percepções de qualidade de vida como ‘boas’, indicando sua satisfação com a saúde.
Abstract: Heart transplantation is the therapeutic procedure indicated to increase the survival of patients with refractory heart failure. Improvement in overall functioning and quality of life are expected factors in the postoperative period. Objectives: To identify and evaluate mental disorders and symptoms, such as depression and anxiety, quality of life and coping strategies in the post-surgical situation of heart transplantation, as well as to correlate the variables and comparing them between sex, age group and time after transplantation. Method: A cross-sectional, quantitative study with patients who have undergone heart transplantation at Hospital de Base of São José do Rio Preto, SP. Participants answered to the Sociodemographic Questionnaire, the Beck Depression Inventory (BDI-II), Beck Anxiety Inventory (BAI), the MINI International Neuropsychiatric Interview, the Ways of Coping Scale (EMEP) and WHOQOL-BREF, World Health Organization to assess quality of life. For data analysis, the significance level was considered P≤0.05. Results: A total of 33 patients participated in the study, 67% (n=22) males, mean age 52 years (± 11.75), mean time after transplantation 10 years (± 3.39). Female patients were 33% (n=11), mean age 54 years (± 11.04), mean time of transplantation 10 years (± 3.28). The BDI-II results indicated that 91% (n=30) presented a minimal level, 6% (n=2) mild level and 3% (n=1) moderate level of depression symptoms. In BAI, 94% (n=31) demonstrated minimal level, 3% (n=1) mild level and 3% (n=1) moderate level of anxiety symptoms. WHOQOL-BREF showed a perception of quality of life considered good (60-80 points) in all domains: psychological (70.45), social relationship (69.7), environment (67.33) and physical (63.53). The EMEP data have registered a problem-focused coping strategy (M=3.56 ± 0.68), religiosity (M=3.55 ± 0.48), social support (M=3.34 ± 0.73) and emotion M=1.76 ± 0.36). According to MINI, a single case of major depressive episode, current and recurrent was recorded. Significant differences were found in the perception of the psychological domain of men as being higher than in women (P=0.0071). Men were more satisfied with the environment (P=0.0387); patients aged ≥ 53 years focusing more on religiosity for coping with problems than lower-aged patients (P=0.039), which was also their main strategy. Conclusion: Although most participants in the sample had symptoms of depression and anxiety, only one patient was identified with moderate symptoms in both domains. The most used strategy was coping problem-focused, followed by focusing on religiosity, social support and emotion. Patients have classified the perceptions of quality of life as 'good', pointing out satisfaction with their health.
Palavras-chave: Anxiety
Heart Transplantation
Heart Failure
Ansiedade
Transplante Cardíaco
Insuficiência Cardíaca
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::8765449414823306929::600
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Sigla da instituição: FAMERP
Departamento: Faculdade 2::Departamento 3::2806819863218485658::500
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia::2588426296948062698::500
Citação: Trevizan, Fulvio Bergamo. Depressão, ansiedade, qualidade de vida e estratégias de enfrentamento após transplante cardíaco. 2016. 100 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Psicologia) - Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 1367
URI: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/462
Data de defesa: 14-Dec-2016
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FULVIOBERGAMOTREVIZAN_dissert.pdfDocumento principal7,01 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.