???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/547
Tipo do documento: Dissertação
Título: Psicossomática, dor e alexitimia: a prevalência de alexitimia nos sujeitos com dor crônica e transtorno psicossomático
Autor: Velani, Ligia Regina 
Primeiro orientador: Ávila, Lazslo Antônio
Primeiro membro da banca: Santos Junior, Randolfo dos
Segundo membro da banca: Martins, Marielza Regina Ismael
Resumo: Atualmente, a Psicossomática é considerada um grande campo de conhecimento a ser mais explorado. A lógica psicossomática não distingue corpo e psique, mas os compreende e estuda como uma unidade integrada, interdependente e complexa. No campo da psicossomática, a alexitimia é considerada hoje, como uma das situações favorecedoras, que parece aumentar a vulnerabilidade às doenças e experiências de dor. Pelo fato da comunicação simbólica estar limitada, a alexitimia foi descrita como sendo um fator particular de risco em sujeitos psicossomáticos. Objetivo: Estudar a correlação entre a dor crônica com o processo psicossomático e a alexitimia. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, de caráter quantitativo e análise qualitativa de conteúdo. Foram analisados 40 sujeitos em um estudo correlacional entre doenças psicossomáticas, dor crônica e Alexitimia. O cenário da pesquisa foi a Clínica da Dor, ligada ao Hospital de Base de São José do Rio Preto SP. Os sujeitos foram selecionados seguindo os critérios: 1. Idade entre 18 e 65 anos, de ambos os sexos; 2. Atendidos pelo ambulatório de dor com queixa de dor não neuropática e presença de transtorno psicossomático avaliado clinicamente, no período de julho de 2017 a setembro de 2018; 3. Sujeitos convidados aleatoriamente, com aceite voluntário. Foi realizada entrevista de anamnese, e aplicados os instrumentos: 1. Toronto Alexithymia Scale-TAS - 20; 2. Questionário Genérico de Avaliação de Qualidade de Vida (SF-36), 3. Inventário de Depressão de Beck e 4. Inventário Breve de Dor. Os dados foram analisados com base no referencial teórico da psicossomática psicanalítica, e as informações quantitativas foram analisadas pela estatística descritiva. Resultados: Na análise demográfica, 67% são mulheres, o estado civil dos sujeitos é de maioria em união estável/casados 63%, com uma média de idade na faixa dos 49,9 anos. Nesta amostra, 42,5% tem entre 5 e 8 anos de escolaridade; 27,5 está desempregada e 27,5 recebe algum tipo de benefício do governo. Houve significância entre dor e alexitimia, sendo esta prevalente na maioria dos sujeitos. A dor foi identificada como fator de risco para piora da qualidade de vida em todos os domínios. A intensidade da dor nas atividades gerais da vida, de acordo com a percepção dos sujeitos, foi de 8,12 ±1,13. O maior impacto da dor é observado, no que se refere a sua interferência no potencial laborativo, 8,72 ±1,55; houve prevalência de alexitimia 65% considerando homens e mulheres. Escores elevados de alexitimia, com uma média 75,66 ±8,08 foram identificados. Dentre os três fatores avaliados, o que diz respeito à dificuldade em identificar sentimentos e distingui-los das sensações corporais, obteve a maior média 28,73 ±4,16, seguido do fator que corresponde à dificuldade em descrever os sentimentos aos outros, com 27,93 ±4,2. Houve presença de correlação entre a percepção da dor e sintomas depressivos (p = 0,39). Conclusão: Sob o olhar da psicossomática psicanalítica, é possível identificar prevalência de sujeitos com alexitimia, que apresentaram maior vulnerabilidade para a percepção de dor, maior presença de sintomas depressivos e manifestação de transtornos psicossomáticos.
Abstract: Currently, Psychosomatics is considered a large field of knowledge to be further explored. Psychosomatics logic makes no distinction between body and psyche, but understands and studies as an integrated unit, complex and interdependent. In the field of literature, alexithymia is considered today as one of the favorable situations, which appears to increase vulnerability to disease and pain experiences. By the fact of symbolic communication be limited, alexithymia was described as probably a particular risk factor in psychosomatic subjects. Objective: to study the correlation between chronic pain and alexithymia in psychosomatic subjects. Methodology: this is a descriptive study of quantitative and qualitative analysis character content. 40 subjects were analyzed in a correlational study. The survey was the Pain Clinic, attached to the Hospital de Base of São José do Rio Preto SP. Subjects were selected according to the criteria: 1. Age between 18 and 65 years, of both sexes; 2. Pain outpatient clinic with a complaint of non-neuropathic pain and psychosomatics disease, for the period from July 2017 to September 2018; 3. Subjects were invited randomly, were accepted volunteer. Anamnesis interview was held, and applied the instruments: 1. Toronto Alexithymia Scale TAS-20; 2. Generic Questionnaire for the evaluation of quality of life (SF-36), 3. Beck Depression inventory and 4. Brief Pain inventory. Data were analyzed on the basis of the theoretical framework of psychoanalytic psychosomatics and quantitative information were analyzed by descriptive statistics. Results: In demographic analysis, 67% are women, the marital status of the subject is most stable/married 63%, with a mean age in the range of 49.9 years. In this sample, 42.5% have between 5 and 8 years of schooling; 27.5% of the subjects are unemployed and 27.5% receives some benefit from the Government. There was positive correlation and significance values between pain and alexithymia, which is prevalent in 65% of the subjects. Pain has been identified as a risk factor for worsening of quality of life in all areas; The intensity of the pain in the General activities of life, according to the perception of the subject, it was 8.12 ±1.13. The greatest impact of pain is observed, the potential labor, 1.55 ±8.72; High scores of alexithymia, with 75.66 ±8.08 have been identified. Among the three factors assessed, the regarding difficulty identifying feelings and distinguish them from the body sensations, represented the highest average 28.73 ±4.16, followed by the factor that corresponds to the difficulty describing feelings to others, with 27.93 ±4.2. The presence of positive correlation between the perception of pain and depressive symptoms (moderate and severe) (p = 0.39) of significance. Conclusion: under the gaze of the psychoanalytic literature in line with other studies, it is possible to identify subjects with alexithymia, presented greater vulnerability to the perception of pain, depressive symptoms and onset of psychosomatic illnesses.
Palavras-chave: Doença Crônica
Chronic Disease
Sintomas Afetivos
Affective Symptoms
Transtornos Psicofisiológicos
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Sigla da instituição: FAMERP
Departamento: Faculdade 2::Departamento 3
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Citação: Velani, Ligia Regina. Psicossomática, dor e alexitimia: a prevalência de alexitimia nos sujeitos com dor crônica e transtorno psicossomático. 2019. 71 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Psicologia) - Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 1429
URI: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/547
Data de defesa: 21-Feb-2019
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LigiaReginaVelani_Dissert.pdfDocumento principal837,56 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.