Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/tede/263
Tipo do documento: Dissertação
Título: Prevalência de colonização por Streptococcus do grupo B entre gestantes ou parturientes atendidas no Hospital de Base de São José do Rio Preto/SP
Autor: Jorge, Luciana Souza 
Primeiro orientador: Soler, Zaida Aurora Sperli Geraldes
Primeiro membro da banca: Oliveira, Maria Antonia Machado de
Segundo membro da banca: Moscardini, Airton Camacho
Resumo: Desde a década de 70, o Streptococcus do Grupo B (SGB) ou Streptococcus agalactiae é considerado a principal causa de doença neonatal precoce. Mesmo com a padronização de estratégias de profilaxia antimicrobiana intraparto (PAI) nos anos 90, tem sido verificado que o SGB é responsável por aproximadamente 70% de mortalidade neonatal. O objetivo deste estudo foi conhecer a prevalência da colonização por SGB entre gestantes e parturientes atendidas no Hospital de Base de São José do Rio Preto e os fatores de risco perinatais envolvidos na colonização materna. Foi realizado um estudo descritivo e retrospectivo em 122 gestantes ou parturientes incluídas por fatores de risco, as quais foram submetidas à coleta de material vaginal e anal, inseridos posteriormente ao caldo de crescimento específico Todd-Hewitt, que é utilizado para identificação dos SGB. A análise estatística dos dados foi realizada por regressão logística e pelo teste de quiquadrado Pearson ou teste de Fisher, quando recomendado. A prevalência de colonização materna por SGB foi de 24,6%, mostrando evidência estatisticamente significante entre mulheres com grau de escolaridade entre 8 a 11 anos (p=0,029) e que referiram história de filho anterior com doença neonatal (p=0,025). A prevalência da colonização por SGB entre gestantes e parturientes atendidas no serviço de obstetrícia no hospital estudado mostra a necessidade da instituição de um protocolo de PAI, a fim de evitar a utilização indiscriminada de antimicrobianos para recém nascidos admitidos na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) e reduzir as taxas de morbidade e mortalidade neonatal.
Abstract: Since the 1970´s Group B Streptococcus (GBS) or Streptococcus agalactiae has been considered the leading cause of early-onset neonatal disease. Even after the adoption of strategies for intrapartum antimicrobial prophylaxis (IAP) in the 1990´s, it has been observed GBS to be responsible for approximately 70% of neonatal mortality. The objective of this study was to establish prevalence of GBS colonization among pregnant women and parturients treated at Hospital de Base de Sao Jose do Rio Preto and the perinatal factors of risk related to maternal colonization. A descriptive and retrospective study was carried out. One hundred and twenty-two patients (pregnant women and parturients) selected for risk factors were submitted to collection of vaginal and rectal swabs which were then inoculated to specific Todd-Hewitt broth used to GBS identification. Statistical analysis of data was performed using logistic regression and Pearson 2 test or Fisher´s test, as appropriated. Prevalence of GBS maternal colonization was 24.6%, revealing statistically significant evidence among women with school education between 8 and 11 years (p=0.029) and those referring having had previous infant born with neonatal disease (p=0.025). The prevalence of GBS colonization of patients admitted at the studied Hospital Obstetrics Department points out the necessity for the institution to have an IAP protocol in order to avoid indiscriminate use of antimicrobial therapy for newborns admitted at the Neonatal Intensive Therapy Unit (NITU) and reduce the rate of neonatal morbidity and mortality.
Palavras-chave: Doenças Transmissíveis
Communicable Diseases
Streptococcus agalactiae
Streptococcus agalactiae
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Sigla da instituição: FAMERP
Departamento: Faculdade 1::Departamento 1
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Citação: Jorge, Luciana Souza. Prevalência de colonização por Streptococcus do grupo B entre gestantes ou parturientes atendidas no Hospital de Base de São José do Rio Preto/SP. 2005. 116 p. Dissertação( Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde) - Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 806
URI: http://hdl.handle.net/tede/263
Data de defesa: 4-Jul-2005
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
lucianasouzajorge_dissert.pdflucianasouzajorge_dissert1,17 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.