Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/tede/128
Tipo do documento: Tese
Título: Indicadores entomológicos para Aedes aegypti (Díptera: Culicidae) em suas formas imaturas e relação com transmissão do dengue.
Autor: Fávaro, Eliane Aparecida 
Primeiro orientador: Chiaravalloti Neto, Francisco
Primeiro membro da banca: Lima, Virgília Luna Castor de
Segundo membro da banca: Dibo, Margareth Regina
Terceiro membro da banca: Machado, Ricardo Luiz Dantas
Quarto membro da banca: Pereira, Marisa
Resumo: A dengue é considerada a mais importante doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. O controle do vetor é uma das alternativas para diminuir o número de casos e deve ser direcionado por métodos adequados de vigilância entomológica. Objetivos: Avaliar o comportamento de indicadores entomológicos para o Aedes aegypti baseados em suas formas imaturas e avaliar sua relação com a transmissão de dengue. Material e Método: O estudo foi realizado em São José do Rio Preto, no período de dezembro de 2006 a maio de 2009. Para a obtenção dos indicadores uma equipe de pesquisadores visitou os imóveis para a contagem de recipientes e coleta de larvas e pupas, estas foram colocadas em frascos com álcool 80% e encaminhadas para identificação e quantificação. Foram considerados os casos de dengue confirmados e autóctones registrados pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Para o método de varredura foi confeccionada uma peneira com aro metálico de 15 cm de diâmetro, feita com um tecido fino de forma côncava com 20 cm de profundidade. Foi realizada a imersão da peneira na superfície da água e realização de movimento circular na parede do recipiente. Resultados: Os tipos de imóveis casa, comércio, indústria e construção representaram 89,9% dos imóveis trabalhados, 91,9% dos imóveis com pupas, produtividade de 92,7% e maiores valores de pupas por hectare. Os tipos terreno baldio, praça e apartamentos apresentaram menores valores de pupas por hectare. Os indicadores calculados por área apresentaram melhor correspondência com a ocorrência de dengue do que os calculados por imóveis. Os indicadores entomológicos obtidos no primeiro e segundo levantamentos foram, respectivamente, IB: 18,9 e 13,2; recipientes positivos por 100 imóveis: 6,9 e 5,3; pupas por hectare: 11,6 e 9,5; pupas por habitantes: 0,45 e 0,19. O fator de calibração para estimativa de formas imaturas em grande recipientes variou de 1,86 à 7,03. Na segunda etapa, para as larvas variou de 3,59 a 26,9 e para pupas variou de 1,57 à 4,89. Conclusões: Os imóveis do tipo casa, comércio, indústria e construção foram identificados importantes no desenvolvimento do Ae. aegypti, os apartamentos foram identificados como de baixo risco. Os indicadores entomológicos calculados por área foram melhores preditores de ocorrência de dengue do que os calculados por imóvel, independente do tipo de indicador utilizado. Os indicadores entomológicos medidos em dois levantamentos subseqüentes apresentaram valores semelhantes, mas, em geral, os imóveis positivos no primeiro levantamento não coincidiram com os positivos no segundo levantamento. O método de varredura mostrou ser factível para aplicação no campo e adequado para estimar o número de pupas, porém para estimar o número de larvas é necessário o aprimoramento da técnica.
Abstract: Dengue is considered the most important viral disease transmitted by the mosquito Aedes aegypti. Vector control is one alternative to reduce the number of cases and should focus on appropriate methods of entomological surveillance. Objectives: To assess the trends of entomological indicators for Aedes aegypti based on its immature forms and to evaluate its relation to dengue transmission. Material and Method: The study was carried out in São José do Rio Preto, from December 2006 to May 2009. To obtain the indicators, a research team visited buildings, counted breeding containers and collected larvae and pupae, which were placed in flasks containing 80% alcohol and sent for identification and counting. Only confirmed cases of autochthone Dengue fever registered on the Disease Notification Information System were considered. A concave net was made with a depth of 20 cm using a 15-cm round metal ring and finely woven cloth for the pupa- larva sampling method. This net was immersed at the water surface of large breeding containers and was moved around close to the wall of the container. Results: Houses, shops, factories, and building sites comprised 89.9% of the buildings inspected, 91.9% of the buildings with pupae, a productivity of 92.7% and the highest number of pupae per hectare. Undeveloped plots of land, town squares and apartments had smaller numbers of pupae per hectare. The indicators calculated per region mirrored the occurrence of Dengue fever better than those calculated per building. The entomological indicators obtained in the first and second time periods respectively were: Breteau Index: 18.9 and 13.2; positive breeding containers per 100 buildings: 6.9 and 5.3; pupae per hectare: 11.6 and 9.5; and pupae per inhabitant: 0.45 and 0.19. The calibration factor to estimate the number of immature forms in large breeding containers ranged between 1.86 and 7.03. In the second stage, for larvae it ranged from 3.59 to 26.9 and for pupae it varied between 1.57 and 4.89. Conclusions: Houses, shops, factories, and building sites are important for Ae. aegypti delevopment; apartments presented low risk. The entomological indicators calculated by region were better predictors of the risk of Dengue fever than those calculated by building independent of the type of indicator utilized. The values of the entomological indicators of the two subsequent time periods were similar, but, in general, positive buildings identified in the first period were not positive in the second. The method of screening proved to be viable when applied in the field and is adequate to estimate the number of pupae however the technique needs to be improved in order to estimate the number of larvae.
Palavras-chave: Aedes Aegypti
Indicadores Entomológicos
Ocorrência de Dengue
Dengue
Epidemiologia
Epidemiology
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::EPIDEMIOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Sigla da instituição: FAMERP
Departamento: Medicina Interna; Medicina e Ciências Correlatas
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Citação: FÁVARO, Eliane Aparecida. Indicadores entomológicos para Aedes aegypti (Díptera: Culicidae) em suas formas imaturas e relação com transmissão do dengue.. 2010. 115 f. Tese (Doutorado em Medicina Interna; Medicina e Ciências Correlatas) - Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto, 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/128
Data de defesa: 23-Jul-2010
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
elianeaparecidafavaro_tese.pdf3,9 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.