Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/tede/58
Tipo do documento: Tese
Título: Incidência de infecções virais das vias aeríferas superiores em crianças e seu estudo por meio de um modelo matemático.
Autor: Santos, Fabiano de Sant'ana dos 
Primeiro orientador: Zanetta, Dirce Maria Trevisan
Primeiro coorientador: Ortega, Neli Regina Siqueira
Primeiro membro da banca: Paro, Maria Luiza Zocal
Segundo membro da banca: Massad, Eduardo
Terceiro membro da banca: Moscardini, Airton Camacho
Quarto membro da banca: Passos, Saulo Duarte
Resumo: As infecções respiratórias agudas, em especial as infecções das vias aeríferas superiores (IVAS), são as causas mais freqüentes de morbidade infantil no mundo. As creches são ambientes fechados, onde há grande circulação de pessoas e também de agentes infecciosos, sendo então favoráveis à disseminação de infecções respiratórias virais. Os modelos epidemiológicos matemáticos são métodos de análise quantitativos e podem ser usados para compreensão e predição da dinâmica de transmissão de uma doença infecciosa. Objetivo: Verificar a incidência mensal de IVAS, de 8 vírus respiratórios, e simular um modelo matemático, avaliando seu comportamento qualitativo e quantitativo em relação aos dados reais de IVAS nas crianças da Escola de Educação Infantil em período integral. Casuística e Método: Todas as crianças (173) que freqüentaram a escola no período de julho de 2003 a julho de 2004 foram acompanhadas por 1,6 a 12 meses. Elas apresentaram sinais de IVAS foram examinadas e tiveram coletado espécime de aspirado de nasofaringe, perfazendo um total de 255 análises. Em seguida, foi realizado ensaio específico multiplex de transcrição reversa seguida da reação em cadeia de polimerase (multiplex RT-PCR) para identificação dos 8 vírus relacionados às IVAS. Resultados e Conclusões: A incidência média de IVAS foi de 2,33 episódios por criança-ano. As IVAS incidiram durante todo o período do estudo, principalmente no outono e inverno, decaindo na primavera e com poucos casos no verão. O rinovírus teve maior incidência tendo sido observado em todos os períodos em que ocorreram episódios de IVAS. Influenza B, vírus sincicial respiratório (VSR) e metapneumovírus ocorreram com menor incidência, principalmente no outono e inverno. IVAS causadas pelos outros vírus analisados influenza A, parainfluenza 1, 2 e 3 foram raras. A avaliação do modelo matemático, por meio de simulações, forneceu resultados animadores, visto que se conseguiu a reprodução dos dados reais. O modelo é promissor. Com a adequação das suas suposições, pode ser útil para a compreensão das dinâmicas de disseminação de doenças, planejamento e avaliação de estratégias de prevenção e de imunização em epidemias.
Abstract: Acute respiratory infections, especially upper respiratory tract infections (URTI), are the most frequent causes of infantile morbidity in the world. Day-care facilities are closed, with great circulation of people and infectious agents as well, being therefore prone to the spreading of viral respiratory infections. Mathematical epidemic models are quantitative analysis methods that might be used for understanding and predicting the transmission dynamics of infectious diseases. Objective: Verify the monthly incidence of URTI, of 8 respiratory viruses, and to simulate a mathematical model, evaluating its qualitative and quantitative behavior regarding true data from URTI in school of infantile education in integral period children. Casuistic and Methods: From July 2003 to July 2004, all children (173) in the school of infantile education in integral period were followed from 1.6 to 12 months. Them presenting signs of respiratory infections were examined and their nasopharyngeal aspirate specimen was collected, in a total of 255 analyses. Soon after, specific multiplex trial of reverse transcription, followed by the polymerase chain reaction (multiplex RT-PCR), was accomplished for identification of the 8 viruses related to respiratory infections. Results and Conclusions: The average incidence of URTI was 2.33 episodes per child-year. URTI was observed throughout the year of study, especially in the fall and winter, lowering during spring and presenting few cases in summer. Rhinovirus presented the greatest incidence, being observed throughout the period of study. Influenza B, respiratory syncytial virus (RSV), and metapneumovirus presented lower incidence, especially during fall and winter. URTI caused by other analyzed viruses - influenza A, parainfluenza 1, 2, and 3 were rare. The evaluation of the mathematical model through simulations has provided promising results, as it was possible to get true data reproduction. The model is promising. Having its suppositions adequate, it might be useful for understanding the dynamics and spreading of diseases, planning and evaluating prevention and immunization strategies in epidemics.
Palavras-chave: Viroses
Infecções Respiratórias
Creches
Lógica Fuzzy
Modelos Matemáticos
Modelos Epidemiológicos
Virus Diseases
Respiratory Tract Infections
Child Day Care Centers
Fuzzy Logic
Mathematical Models
Epidemiologic Models
Pediatrics
Virosis
Infecciones Del Sistema Respiratorio
Jardines Infantiles
Child Day Care Centers
Logica Difusa
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::PEDIATRIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Sigla da instituição: FAMERP
Departamento: Medicina Interna; Medicina e Ciências Correlatas
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/58
Data de defesa: 31-Mar-2009
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.